Meus livros prediletos de 2013

Sou uma leitora compulsiva. Me acostumei tanto com a companhia de um livro que se fico dois dias sem lê, fico ansiosa. Ano passado eu marquei meu recorde. Foi o ano em que eu mais li. Quase vinte livros. Média de duas leituras por mês.

Li de tudo. Didáticos para aprender algumas coisinhas, clássicos que eu queria lê a tempos, descobri as comédias românticas americanas, foi ótimo. Até teatro, eu li.

Infelizmente, não consegui reduzir minha estante que ainda conta com trinta obras não lidas ainda. Por isso, 2014 vai se dedicado inteiramente a ela. Vou te que dá um tempo da biblioteca, que eu adoro, e ir só de vez em quando. Mas vai valer a pena.

Enquanto isso, dei uma olhadinha no meu Skoob e separei alguns dos livros que mais gostei em 2013. Um aviso: eu geralmente leio o que me vem na telha. Então, não esperem muitos best-sellers do ano passado. Quem vocês tiram alguma inspiração para sua próxima leitura. Confira:

O Alienista – Machado de Assis

Excelente livro. O Machado é um gênio e escreve como ninguém. Seus textos são sempre atuais e interessantes. Vale a pena ler seus livros.

Antes mal-acompanhada do que solteira – Wendy Markham

Comédia romântica americana de qualidade. A história de Tracy é cativante. Você não consegui parar de lê um minuto, aconteceu comigo.

Não deixe para depois o que você pode fazer agora – Rita Emmett

Essa para quem fica enrolando para fazer as coisas. As dicas de Rita funcionam e são super legais.

O seu primeiro milhão – Pedro Queiroga Carrilho

Ótimo livro para quem quer aprender a economizar para o futuro. Dicas muito boas sobre previdência, investimento e poupança.

Esses foram meus livros prediletos de 2013. Não são muitos, mas foram os textos que mais gostei de ler. Vale a pena a leitura deles.

Anúncios

Resenha: Antes mal –acompanhada que solteira de Wendy Markham

Estava louca para voltar a biblioteca de minha cidade. Fazia um tempão que não ia lá. Tudo porque no último ano me tornei uma leitora assídua, comprei vários livros e acabei formando uma biblioteca pessoal. O problema é que a maioria dos meus livros são “cabeças”, tipo, livros sobre jornalismo, algumas coisas do Machado de Assis (adoro ele), dentre outros. Como tinha lido algumas blogueiras que curtiam mais lê Sophie Kinsella ou Candace Bushnell, resolvi que queria lê algo do tipo. Eu precisava de algo leve, divertido e romântico. O quê resultou em algumas aquisições novas para minha estante na semana passada.

Bom, inspirada no Hey Cute e no Morando sozinha, fui a biblioteca procurar algo legal para lê. Andei por algumas seções e fui parar na seção de literatura americana. Lá achei um dos melhores livros que leria no ano. Assim, achei Antes mal acompanhada que solteira (editora Harlequin Books, 395 p., 2004). Já de saída, a bibliotecária de lá, me disse que o livro era ótimo. E realmente era.

Li o livro em dez dias. Me identifiquei tanto com a personagem que ela me inspirou em vários aspectos da minha vida.  Afinal, Tracey não é nenhuma super modelo. Ela é uma mulher comum, com problemas amorosos como todo mundo e que está insatisfeita com sua vida.

Não conheço a autora. É a primeira história de Wendy Markham que leio. Sinceramente, quero lê outras obras dela. Todos os lugares que procurei, indicam que esse foi o único livro dela publicado no Brasil. O que é uma pena, porque ela é muito boa.

O final do Livro me decepcionou porque acho que poderia ter acontecido mais coisas com Tracey. Mas fiz uma pesquisa e o livro tem continuações, o problema é que como eu disse, esse foi o único livro da Wendy publicado no Brasil e os outros estão todos em inglês.

Se você gosta de romances americanos, com certeza vai gostar da narrativa de Antes mal-acompanhada que solteira e dá boas risadas com as enrolações de Tracey.

SINOPSE: Para qualquer mulher que sobreviveu a um longo verão calorento em uma cidade grande, Antes mal-acompanhada que solteira é aquela brisa leve que estava faltando! Uma onda de calor em Manhattan é o suficiente para deixar qualquer mulher louca mas, para Tracey Spadolini, uma moradora de Nova York vinda de fora e que foi ?deixada para trás? no verão, não são só as altas temperaturas que a fazem suar. Will, seu namorado aparentemente fixo, só volta em setembro, quando poderão dar prosseguimento à relação (?) do ponto em que tinham parado. Mas nos dias que se seguem à partida de Will, Tracey resolve que chegou a hora de colocar os pés no chão. O apartamento sem ar-condicionado em que mora no East Village é uma pocilga, seu cargo de nível junior em uma agência de publicidade é a maior chatice, as coxas não parecem estar afinando nem um pouco e Will simplesmente evaporou da face da Terra. Com a ajuda dos amigos e Buckley, um sujeito muito atencioso, Tracey resolve passar o verão se reinventando… E dando a si mesma a oportunidade de gostar da nova mulher em que se transformou. Antes mal-acompanhada que solteira é uma descrição honesta e divertida dos dilemas universais femininos, vistos da perspectiva de uma mulher em busca de si mesma.

Lê é vida

Ler faz muito bem.

Ler faz muito bem.

Gostar de ler no Brasil é privilégio. Uma pesquisa encomendada pelo Instituto Pró-livro, diz que o brasileiro lê, em média, quatro livros por ano. Sério, quatro livros por ano. Muito pouco comparado a outros países. É pouco. Tudo bem não precisa se um grande leitor, mas lê é um exercício prazeroso, além de aumenta o vocabulário e amplia o conhecimento.

Brasileiro lê, em média, quatro livros por ano, revela pesquisa

Começar a lê é muito simples. Uma professora me ensinou que devemos começar devagar. Como tudo na vida, começamos aos poucos até irmos ao nosso objetivo inicial. Bom, comece lendo revistas , sim revistas. São uma ótima fonte de informação. Depois passe para o jornal onde você pode ter  uma boa visão crítica da sociedade. Não apenas leia as notícias, repense sobre elas. Pense como elas podem afetar sua vida, por exemplo. Então, comece por livros com textos pequenos e algumas ilustrações. Busque temas que você gosta. Não ligue em escolher temas elaborados, pois, o que é importante é lê. Depois passe para livros sem ilustrações. Escolha temas que você gostaria de aprender ou pensar. E pronto. Você é um leitor e tanto, agora.

É legal você conhecer os autores. Lê sua bibliografia. Procurar mais sobre o tema do livro. Fazer pesquisas paralelas é jeito bem bacana de aprender com o conteúdo do texto. Se você gosto do assunto, não se limite apenas a um livro sobre, leia outros, estude por um tempo.

Bom, essas são minhas dicas para uma leitura agradável. Boa leitura!